XML

Publicados arquivos XSD da EFD-Reinf versão 1.1.01, compatíveis com a versão 1.1 dos leiautes.

Para que não haja problemas na utilização do ambiente de produção restrita é importante que as empresas gerem seus arquivos XML com base nesses arquivos XSD atualizados.
As demais instruções relativas ao ambiente de produção restrita, incluindo a data de início para sua utilização serão divulgadas oportunamente.
Contabilidade na TV

Você sabe como prevenir fraudes contra o CNPJ da sua empresa?

Possuir um planejamento pode ajudar a antecipar esse tipo de situação e também eventuais dificuldades de gestão, evitando complicações com o fisco
Você sabia que pode estar pagando mais impostos do que deveria, simplesmente por desconhecer algumas notas que são emitidas contra seu CNPJ? Todo mês são registradas cerca de 150 mil tentativas de fraudes em CNPJ em todo o país, o que aumenta o desafio de prevenir fraudes e manter a saúde financeira da sua empresa.
A situação econômica e o aumento nos índices de desemprego no Brasil, seguem prejudicando o desempenho de muitos empresários e na tentativa de aumentar as vendas, muitos começam a facilitar as condições de pagamento, abrindo brechas para riscos fiscais. Gerenciar o grande volume de notas fiscais eletrônicas e ainda controlar os documentos fiscais eletrônicos é muito difícil, o que acarreta perda significativa de créditos oriundos das notas fiscais de entrada desconhecidas, aumentando os valores das escriturações e obrigações, e consequentemente os dos impostos pagos.
Possuir um planejamento pode ajudar a antecipar esse tipo de situação e também eventuais dificuldades de gestão, evitando complicações com o fisco. Sem contar que você não fica dependendo do envio do XML e ainda tem uma informação confiável, evitando erros de escrituração, falsificações, fraudes e notas fiscais emitidas sem autorização.
Como se prevenir?
Primeiramente, o empreendedor precisa ter muito cuidado com empresas com poucos meses no mercado e CNPJ recém-aberto e que constantemente mudam sua situação financeira. Procure sempre saber mais sobre o histórico dessas empresas, experiência no segmento, como e de onde vieram. Veja também, se o volume de compra dessa empresa, condiz com o porte e a situação dela.
É aconselhável que o empresário preste bastante atenção aos produtos de rápido giro, pois são os preferidos dos golpistas pelo fato de permanecer pouco tempo em estoque e serem, no geral, de primeira necessidade, como alimentos, área têxtil, material de construção e autopeças.
Um dos golpes mais aplicados por contraventores é o golpe de ciclo longo. A empresa golpista aproxima-se da empresa-vítima e realiza uma boa compra à vista. É lógico que ela cria uma boa impressão na empresa vendedora, que passa a enxergar nela um excelente cliente. Aproveitando dessa farsa, na segunda ou terceira compra a empresa contraventora realiza uma compra grande, não paga e simplesmente desaparece, sem deixar rastros. Aplicando seu derradeiro golpe.
Portanto, é preciso tomar bastante cuidado. Não hesite em contar com soluções especializadas em identificar fraudes contra o CNPJ da sua empresa. Sem uma ferramenta que identifique em tempo real qualquer emissão de nota contra seu CNPJ, você estará sujeito a fraudes e erros de fornecedores. Para se prevenir, a melhor opção seria contar com um sistema responsável que recupera os arquivos XML deixados para trás e ainda apura todos os créditos a que tem direito.
Softwares assim garantem não só a total gestão de seus arquivos XML, capturados na base da SEFAZ em tempo real, mas também a qualidade e a assertividade para identificação de inconsistências.
Atualmente, no mercado existem algumas opções de sistemas que podem auxiliar empresas a não fazer parte das 150 mil tentativas de fraudes em todo país. Uma alternativa é o sistema SSBUSCA XML da SuperSoft Sistemas* . Uma ferramenta de auditoria que captura automaticamente os XMLs das notas fiscais eletrônicas emitidas contra a empresa, direto da Secretaria da Fazenda (SEFAZ). O sistema permite ainda, fazer o download e o monitoramento em tempo real de todas as NF-es, com certificado A1 e A3.
O importante é não ficar dependendo do envio de XML e ter informações confiáveis para evitar erros de escrituração, falsificações de documentos, fraudes e notas fiscais emitidas sem autorização. Adotando essas medidas, a probabilidade de se tornar a próxima vítima diminuirá certamente. Fique atento!
SEGS

Entenda o que é o arquivo XML de nota fiscal

Você sabe o que é arquivo XML de nota fiscal?
XML é um formato de arquivo usado para salvar as informações fiscais referentes a uma operação de venda em um estabelecimento comercial, em outras palavras, é a Nota Fiscal em sua versão eletrônica, por isso é chamada de NF-e (Nota Fiscal Eletrônica). Toda vez que uma venda é realizada em um estabelecimento comercial uma NF-e é emitida. O arquivo XML é emitido de acordo com o padrão nacional de escrituração fiscal.
Informações e campos de um arquivo XML de nota fiscal
Informações do emitente: nome, razão social e CNPJ; Inscrição Estadual e código do município da ocorrência do fato gerador do ICMS;
Informações do destinatário: nome, razão social e CNPJ; inscrição estadual e endereço;
Informações da Nota Fiscal Eletrônica: valor total da venda; Data de entrada e saída; Data de emissão; Modelo, número ou série do produto/serviço;
Informações sobre o produto ou serviço em questão: Valor, descrição, quantidade e unidade comercial;
Informações relacionadas ao ICMS: valor do produto; Valor seguro; Valor do frete; substituição; PIS, IPI, COFINS e base de cálculo;
Informações sobre o transporte: informações do transportador como CNPJ e endereço; Informações do veículo como placa e RNTC; Informações sobre o volume transportado, como quantidade, peso bruto e líquido; Modalidade de frente;
Informações de cobrança: forma de pagamento e endereço;
Dados adicionais: quaisquer Informações adicionais que sejam do interesse do contribuinte; Fonte de impressão do Danfe.
O que é Danfe?
O Danfe é o Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica, que oferece informações mais detalhadas a respeito da transação comercial em questão. É emitido quando a sua empresa compra de outra empresa e será fornecido a um cliente quando o mesmo efetuar uma compra com você. O Danfe é um documento impresso em papel, o que acaba sendo motivo para gerar complicações em inúmeros empreendedores, pois acreditam que esta seja uma versão impressa da NF-e.
Lembre-se, a verdadeira Nota Fiscal Eletrônica é armazenada digitalmente em um arquivo XML e deve ser emitida igualmente a cada transação comercial de sua empresa, permanecendo disponível para consulta.
Observação: o Danfe não possui qualquer valor fiscal. Portanto, não há necessidade de que as empresas envolvidas na transação precisem armazená-lo. Entretanto, é importante lembrar que ele também não substitui a NF-e em XML.
Sage

Nota fiscal de entrada.

Para os estabelecimentos cujos bens e produtos estão sujeitos à tributação do ICMS, é necessário emitir notas fiscais para registrar a entrada e a saída de mercadorias. Mas nem sempre os remetentes são contribuintes desse imposto. Nesses casos, o estabelecimento contribuinte é quem deverá emitir a nota fiscal de entrada. Porém, há também outras situações em que esse tipo de nota é exigido.
O que é a nota fiscal de entrada?
Os contribuintes do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) têm a obrigação de registrar os bens e os produtos que são recebidos e transportados dos seus estabelecimentos. No caso de remetentes que não são contribuintes desse imposto e não têm como emitir notas fiscais, o estabelecimento contribuinte deverá emitir uma nota fiscal de entrada, exatamente para registrar que determinado bem ou produto foi recebido.
Mas há também outras situações de obrigatoriedade de emissão das notas fiscais de entrada, que listaremos abaixo.
Além de serem obrigatórias pela lei, as notas fiscais de entrada são importantes para diversas atividades internas da empresa, como o controle de estoque, o controle financeiro e contábil, o controle de produção, entre outros.
O que a diferencia da nota de saída?
A nota fiscal de saída é emitida para o consumidor final, para bens e produtos que são vendidos pelo estabelecimento a um cliente.
A nota fiscal de saída é emitida na modalidade eletrônica e pode ser impressa em qualquer tipo de impressora e papel. A nota fiscal de entrada também pode ser emitida eletronicamente (NF-e) e a única diferença entre elas está no preenchimento do campo reservado para Nota Fiscal de Entrada.
Como emiti-la?
As regras concernentes à nota fiscal de entrada são estabelecidas pela legislação estadual, que prevê quais são as situações em que sua emissão será necessária e como ela deverá ser realizada. Procure a Secretaria da Fazenda de seu Estado para mais informações.
Quando ela é obrigatória?
A emissão da nota fiscal de entrada é exigida para as empresas optantes pelo Simples Nacional, bem como nas seguintes situações:
Para casos em que o estabelecimento destinatário retirará ou transportará o bem ou produto;
Para bem ou produto enviado por empresa, pessoa física ou jurídica, que não está obrigada a emiti-la;
Para bem ou produto que foi industrializado por profissional avulso, ou autônomo, ao destinatário (retorno de industrialização);
Para bem ou produto que retornou de exposição ou feira e que foi enviado com a finalidade específica de exposição ao público;
Para entrada de bem ou produto importado diretamente do exterior;
Para a circulação de produto arrematado em leilão ou concorrência do Poder Público;
Para bem ou produto devolvido pelo cliente.
Cabe ressaltar que todas as notas fiscais de entrada deverão, obrigatoriamente, ser registradas no livro Registro de Entradas, pelo próprio estabelecimento contribuinte do ICMS, com o destaque do valor do imposto calculado sobre cada compra, de acordo com o regulamento do imposto em cada Estado.
Além disso, caso seja emitida nota fiscal do tipo eletrônica pela empresa remetente, é necessário que o estabelecimento salve também o arquivo XML da NF-e, que contém todas as informações relevantes desse documento fiscal.
Sage