Motivar

Como os benefícios corporativos podem ajudar a tornar o seu RH estratégico

Oferecer um pacote de benefícios atrativo e diferenciado é uma importante ferramenta para conquistar e manter talentos em qualquer empresa. As empresas que colocam uma vantagem como essa em prática, conseguem motivar e engajar os colaboradores que já fazem parte do time, elevando a produtividade e a competitividade da organização.
Não é novidade que o salário não é mais o ponto decisivo para quem busca por uma colocação no mercado de trabalho. Hoje, as pessoas querem também desafios e, acima de tudo, qualidade de vida, tanto na empresa quanto fora dela. Neste último item, especialmente, o papel de um bom conjunto de benefícios se sobressai. Eles colaboram decisivamente para a redução do turnover e também criam um clima positivo, fazendo com que as pessoas se sintam importantes e parte da organização.
Pensando nesses diferenciais, listei algumas dicas sobre como aproveitar melhor a gestão de benefícios e tornar seu RH estratégico. Muitas destas iniciativas já são bem comuns na maioria das organizações, outras são um pouco mais arrojadas, mas podem apresentar excelentes resultados. Veja quais são os cuidados essenciais que sua equipe de RH deve ter para gestão de benefícios:
Faça um planejamento – A política de benefícios precisa alinhar-se às demandas de dois interessados. Primeiro, da própria empresa, que busca motivar, engajar seus colaboradores e, consequentemente, melhorar a produtividade e a competitividade. Segundo, dos colaboradores, que buscam nos benefícios as características que consideram importantes para a manutenção de um clima favorável no trabalho.
Por isso, determinar o que será oferecido neste pacote deve ser resultado de um planejamento específico, que precisa levar em conta os objetivos da empresa, além do perfil e a necessidade dos colaboradores.
Conheça seu público – Para determinar quais benefícios serão oferecidos aos colaboradores, é essencial saber o que é importante para eles e o que faria com que todos escolhessem sua empresa para trabalhar.
Tenha atenção ao que diz a lei – Antes de elaborar um plano de concessão de benefícios, é preciso prestar atenção ao que diz a legislação trabalhista. Alguns benefícios, como férias, 13° salário e horas extras são obrigatórios. Por vezes, há ainda outras vantagens definidas por meio de acordos coletivos ou negociações com sindicatos, que precisam ser respeitados. Também é importante ficar atento a determinados benefícios pagos em dinheiro, como os bônus ou remunerações variáveis. Elas geram encargos sociais, que devem ser incorporados aos custos da política de benefícios.
Mantenha a transparência nas políticas de RH – Os benefícios estão entre os principais atrativos que seduzem o colaborador a permanecer em uma organização. Quanto mais claras forem as práticas da organização nesta área, mais chances ela terá de cativar talentos.
É preciso ser transparente sobre o que será oferecido, para quem e em que condições. Plano de saúde, participação nos resultados, auxílio-educação, enfim, quando o colaborador escolhe a empresa, ele tem que ter segurança sobre tudo o que poderá receber em troca do seu engajamento. Também é importante informar ao colaborador em qual nível do plano de benefícios ele está enquadrado.
No caso dos planos de saúde, por exemplo, é comum a empresa oferecer diferentes modalidades, de acordo com o cargo ou a função.
Foque na qualidade de vida – É no trabalho que as pessoas passam uma boa parte de suas vidas. Logo, ter qualidade de vida no escritório é essencial para o bem-estar geral. O papel do RH aqui é muito importante para gerar um ambiente favorável para que os colaboradores se sintam motivados. Entre as ações de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT), estão a jornada flexível ou reduzida em determinadas situações, possibilidade de trabalho em home office, incentivo à prática de atividade física por meio de um benefício de qualidade de vida, licença especial para projetos pessoais e oferta de serviços diferenciados no escritório (salão de beleza, massagem, entre outros).
Ofereça cartões de benefícios – Gerenciar a vasta relação de benefícios que as empresas devem oferecer aos colaboradores pode muitas vezes sobrecarregar a área. É relativamente comum que o setor de RH seja “engolido” por atividades administrativas de tal forma que não sobre tempo para pensar na gestão de pessoas de forma estratégica.
Uma alternativa para facilitar este gerenciamento é o uso dos cartões de benefícios. Hoje, o mercado oferece alternativas cada vez mais adaptáveis aos diferentes tipos de negócios e necessidades das empresas. É uma forma de evitar a sobrecarga dos Recursos Humanos que, com menos atividades administrativas para executar, terão mais tempo para desenvolver estratégias para aprimorar a relação da organização com seus colaboradores.
Implemente benefícios flexíveis – A implantação de benefícios flexíveis é uma alternativa para customizar ainda mais o pacote oferecido aos colaboradores. Nesta modalidade, a empresa determina um valor de crédito para o investimento e os próprios colaboradores decidem onde ele será aplicado. Além de melhorar o aproveitamento do seu investimento, esta ação amplia a noção de que o colaborador participa efetivamente das decisões na empresa.
Avalie os benefícios – Quando vamos realizar qualquer tipo de investimento, é fundamental ter metas claras quanto ao retorno esperado. Na gestão de pessoas não é diferente. Por essa razão, é essencial medir como os colaboradores avaliam o pacote de benefícios oferecido pela empresa.
Para fazer isso, as pesquisas de satisfação são uma boa alternativa. Elas podem dar subsídios para verificar se o investimento está gerando o reflexo desejado e melhorando a percepção dos colaboradores quanto à qualidade de vida no trabalho ou se é necessário reavaliar sua gestão de benefícios.
E na sua empresa, como é a gestão de benefícios? Você acredita que ela é um diferencial na captação e retenção de talentos?
Oferecer benefícios aos funcionários faz com que eles se sintam valorizados. Com essas dicas básicas, vemos o quanto é importante investir nessa área, principalmente nos dias de hoje, em que as pessoas escolhem seu trabalho de olho no que ele pode oferecer de benefícios, tanto financeiros, quanto ao que diz respeito à qualidade de vida.
Administradores

Sete lições para motivar e manter talentos

Um dos maiores desafios que empresários têm é atrair e manter talentos. Baseado na minha experiência como empreendedor, posso dizer que acertei, mas, também, cometi erros que resultaram na perda de talentos-chave nas empresas que participei. Listo sete lições para que empresários consigam manter essas pessoas importantes para seu negócio:
Definir claramente os papéis e responsabilidades: Em uma startup todos acabam fazendo de tudo, mas é preciso deixar claro que o “proprietário” é a chave. Ele cria transparência possível, para que todos saibam quem é responsável por cada iniciativa.
Ouça tudo o que você puder: Escute o que os membros da sua equipe têm a falar. Tire um tempo para saber suas opiniões sobre a empresa, o produto ou serviço em questão, como eles se sentem sobre seus trabalhos e o que está acontecendo em suas vidas pessoais. Muitas vezes, não temos que fazer nada de diferente; o fato de passar o tempo escutando faz a diferença.
Comunique claramente as prioridades: Como líder de uma empresa, provavelmente você terá que lidar com 20 coisas ao mesmo tempo. Entretanto, as prioridades devem estar muito bem definidas, sendo necessário comunicá-las e transmití-las através da organização. Tente não ter mais do que três grandes iniciativas de uma vez só. Se você precisar mudar de direção, comunique de forma proativa a mudança que deve ser feita e a razão de fazê-la.
Encontre as desavenças e ataque-as de forma proativa: Uma pessoa que não está bem, pode contagiar o restante. Não permita que uma pessoa ou um pequeno grupo de pessoas que não estão felizes, contaminem o restante da empresa. Não tenha medo de deixar ir embora membros da equipe que são bons em nível de execução, mas não colaboram com um bom ambiente de trabalho.
Deixe claro quais são as expectativas de cada função e a cultura que busca promover na empresa: há empresas onde a maioria das pessoas trabalham remotamente e funcionam perfeitamente, e há empresas que parecem um acampamento de férias onde todos os funcionários fazem o seu trabalho com êxito. Escolha qual cultura que você deseja criar e selecione as ferramentas para reforçar o caminho que você escolheu.
Dedique um tempo para entender os tipos de personalidades que existem na sua equipe e explique a sua: Alguns são hiperativos, outros calmos, alguns extrovertidos, outros introvertidos, alguns são organizados, outros sofrem de déficit de atenção. Entender as personalidades de cada um ajuda a saber como interagir melhor e evitar erros de interpretação. Uma boa ferramenta utilizada por várias organizações para determinar personalidades dinâmicas e melhorar trabalho em grupo é o Indicador Myers-Briggs .
Certifique-se de que membros da sua equipe se sintam valorizados: Não existe uma fórmula mágica motivadora. E se há uma coisa que eu posso dizer é que a coisa mais importante em reter talentos é fazer com que as pessoas se sintam valorizadas. Há muitas maneiras de fazer isso, seja com reconhecimento público, recompensas monetárias ou apenas tomar o tempo para ter conversas frente a frente. Como em outros aspectos da vida, todos nós gostamos de nos sentir respeitados e relevantes.
TI Especialistas

Como motivar sua equipe para um desempenho máximo?

O trabalho de um líder de motivar sua equipe é algo que nunca acaba nunca, pois se a equipe estiver desmotivada na certa resultados negativos vão surgir.

Em tempo de competição acirrada promover a motivação dos membros da empresa é algo que precisa ser feito constantemente e não apenas quando a crise já está instalada.

Portanto, Srs. e Sras Líderes, sigam as dicas a seguir para que sua liderança seja sempre sinal de motivação profissional:

Procure está sempre de bem com a vida, mostrando sua Energia Emocional para seus liderados.

Invista numa comunicação interna da melhor maneira possível, procurando sempre ser transparente e motivador.

Delegue com sabedoria e antes de tudo treine antes de enviar os “marujos” ao mar.

Quando precisar corrigir um membro da equipe, escolha as melhores palavras possíveis e lhe dê suporte emocional.

Promova Workshops motivadores para que todos sintam e entendam melhor a Visão, Missão e Valores da empresa.

E claro, incentivos financeiros premiações de vários tipos também podem fazer parte do seu “pacote” de medidas inspiradoras.

Essas medidas ajudam você e a sua equipe-empresa a alcançarem um Desempenho Máximo. E lembre-se também, se não fizer nada, nada vai acontecer. E que são atitudes positivas que muda o mundo corporativo na qual você, sua e seus clientes vivem.

Link: http://www.administradores.com.br/artigos/administracao-e-negocios/como-motivar-sua-equipe-para-um-desempenho-maximo/76470/

Administradores

Como motivar eficazmente sua equipe

Como gestor, você deve saber motivar a si mesmo e aos outros. A automotivação é uma questão pessoal.Quanto a motivar a equipe, é preciso ficar claro que nenhuma pessoa motiva outra. O que você pode fazer é fornecer instrumentos e condições para que alguém se motive, e essa pessoa passa, então, a agir de forma motivada na busca de metas e objetivos que, para ela, se revistam de significado.

1. Todas as manhãs, ao levantar, olhe-se no espelho. Gosta do que vê?

Sim, se você pretende motivar aos outros, primeiro deverá saber motivar a si próprio. Olhe-se no espelho todas as manhãs assim que levantar. Se você não gosta do que está vendo, se o seu rosto não é o que você gostaria de ver refletido, então você está desmotivado. É hora de fazer algo a respeito. A automotivação ocorre mais facilmente se você possuir dois componentes básicos: metas – profissionais e pessoais – e auto-estima. As metas devem estar alicerçadas em aspirações profundas pelas quais você faria qualquer esforço e pagaria qualquer preço para atingir. Mas tem de ser algo que o motive a ação (motivo + ação), que faça você vibrar cada fez em que pense nisso. Algo que, para você, faça valer a pena correr riscos, pois é o seu objetivo de vida.

2. Estabeleça metas de vida

Embora estabelecer metas possa parecer assustador, é necessário fazê-lo, porque, se não tiver coragem de lutar pelos seus próprios objetivos, ninguém irá realizá-los por você. Portanto, compre a ideia de assumir o controle da sua vida e estabeleça um sistema de metas por escrito. Não basta apenas pensar nisso, é preciso escrever, porque a diferença entre um “desejo” e uma “meta” é que a meta está no papel, com um prazo para ser executada. Assim você poderá visualizar as suas metas, o que torna mais fácil refazê-las, concentrar-se nelas, dar-lhes prioridades e executá-las.

3. Promova sua autoestima

O desenvolvimento de hábitos e capacidades positivas – seja lidar com o estresse, vencer o adiamento ou aprender a comandar pessoas – depende de sua autoestima. Muito dessa autoestima está baseada em mensagens recebidas por toda a vida– principalmente na infância – de seus pais, amigos, parentes, professores, meios de comunicação e de todo o ambiente que cerca você. Sabermos que muitas pessoas competentes profissionalmente sabotam suas chances de sucesso e felicidade por causa de problemas que elas consideram intransponíveis. Isso ocorre porque a maioria, infelizmente, convive com um baixo nível de autoestima cristalizado ao longo dos anos. O resultado é a autoconfiança debilitada. A autoconfiança é absolutamente necessária se você quiser fazer progresso em sua carreira. Ela livra-o de preocupações desnecessárias, medo e insegurança. Torna o cérebro descansado para dedicar-se a ideias positivas. Você desenvolve essa autoconfiança aceitando novas oportunidades quando elas surgem, tomando a iniciativa e fazendo as coisas acontecerem em vez de esperar. Quando confiar em si mesmo, os outros também confiarão.  Confiança é como gripe: tremendamente contagiosa. Quando irradiar confiança, você estará motivado e saberá motivar os outros; as pessoas o seguirão, as oportunidades surgirão.

4. Deite-se e levante-se tranquilo

Não vá dormir com as tradicionais notícias pessimistas e angustiantes da tevê, ou após ter assistido a um filme violento, pois eles agitarão o seu sono. Pesquisas revelam que o último pensamento com que a pessoa adormecer tenderá a predominar durante o sono. Não é preciso, portanto, ter muita imaginação para saber o que acontecerá se você dormir preocupado ou alarmado. Ao deitar, reserve dez minutos para você mesmo. Visualize uma paisagem paradisíaca, cheia de luz, cores e muita paz. Sinta esse ambiente positivo e tranquilizante envolvendo você e permaneça nele enquanto adormecer.Se puder, ao mesmo
tempo ouça uma música relaxante e suave (afinal, para que servem os MPs?). Outros, ainda, conseguem excelentes resultados orando e comungando com Deus pouco antes de dormir, agradecendo pela proteção e força recebidas durante o dia. Fazendo essas coisas seu sono terá melhor qualidade. Ao levantar, disponha de pelo menos cinco minutos para você mesmo.

Não ligue correndo a televisão à cata das eternas notícias perturbadoras, nem ligue o rádio no último volume para ouvir música agitada (rock, samba etc.). Respeite-se. Ao levantar, fique num lugar tranquilo de sua residência e visualize um dia de harmonia e protecão em seu lar,no trabalho ou onde estiver. Faça com que essa sensação de harmonia e proteção penetre em você, sinta-se mesmo invadido por esse estado de espírito. Permaneça assim por cinco minutos ao menos. No decorrer do dia, lembre-se, a cada hora ou par de horas, dessa sensação de harmonia e proteção. Você ficará surpreso de ver como as coisas poderão se encaminhar favoravelmente durante o dia. Tudo isso porque, inconscientemente, sua postura será mais tranquila e confiante diante das pessoas e situações, e as respostas tenderão a se alinhar com o seu comportamento harmonioso.

5. Estabeleça harmonia no relacionamento da equipe

Faça com que seus liderados aprendam a trabalhar em equipe e estabeleçam um ambiente de cooperação. O trabalho em equipe, a confiança mútua e cooperação geram mais trabalho produtivo e motivação do que muitos métodos sofisticados o conseguem. Mantenha um ambiente alegre, tranquilo e harmônico. Comemore um resultado positivo de seu departamento – como um projeto concluído, um desempenho acima da média -, oferecendo à sua equipe refrigerantes e salgadinhos, ou algo parecido, no final do expediente.

6. Reforce a autoestima dos colaboradores

Faça com que as pessoas se sintam vencedoras. Gere orgulho do liderado pelo trabalho que ele desempenha, pela empresa em que trabalha e, sobretudo, faça-o ter orgulho de si mesmo. O orgulho gera o desejo do êxito: o desejo do êxito faz as pessoas buscarem no seu íntimo recursos inexplorados. Uma das melhores maneiras de incutir o orgulho nas pessoas é dar-lhes o sentido de responsabilidade pelo que estão fazendo e ajudá-las a saber que elas desempenham uma função importante. Encoraje cada um a fixar prioridades em seu trabalho, fazendo, com isso, com que ele se envolva e se comprometa com os resultados obtidos.

7. Estabeleça metas ambiciosas, mas exequíveis

É impossível gerar orgulho na equipe sem estabelecer padrões elevados de qualidade e produtividade. Mas, em primeiro lugar, as metas devem ser claras para todos. Não pode existir a menor dúvida na equipe sobre o que se pretende atingir e como chegar lá. Em segundo lugar, essas metas devem ser ambiciosas – às vezes difíceis – mas atingíveis. Se houver resistência da equipe, você terá de negociar as metas com ela e, ao mesmo tempo, mostrar o desafioque os colaboradores terão pela frente. Isso os estimulará.

8. Mantenha aberto os canais de comunicação

Ouça o seu pessoal. Aceite sugestões. Envolva-os na busca da solução dos problemas. Fale dos números e resultados que a empresa obtém. Converse com os liderados amiudemente, mantenha um ambiente de respeito e cortesia. Não seja o único canal que existe para o contato com a alta administração. Permita que os seus liderados se dirijam ao nível superior da organização, com ou sem a sua presença. Neste caso, deverá ficar claro aos liderados e a chefia superior que isso está acontecendo com o seu consentimento e que posteriormente você quer receber o feedback da reunião, ou do subordinado ou da chefia com quem ocorreu o contato (talvez até de ambos). Dessa forma, sem a sua presença, você demonstra confiança e que está acompanhando o desenrolar da situação.

9. Lembre-se : o que é recompensado é feito

Existem muitas outras formas de recompensar além do dinheiro. Aliás, essa última, é uma das formas que o chefe menos tem poder de premiar. Mas invariavelmente tudo o que é recompensado é realizado com mais interesse e motivação, desde que a recompensa tenha valor para essa pessoa. Por exemplo, você pode premiar um bom trabalho ou um grande esforço dispendido com um treinamento ou um dia de folga, um jantar, um bem (perfume, minicalculadora etc.), entradas para eventos esportivos ou culturais, uma doação para uma instituição de caridade de escolha do empregado. Descubra outras formas ou pergunte que recompensas eles gostariam de obter. Mas seja qual for a premiação, as regras devem estar bem claras para todos e porque alguém está sendo recompensado (alta produtividade,esforços extras prolongados, ideias que trouxeram bom retorno etc.), para que não haja a ideia de favorecimento ou protecionismo. Outras formas de premiação podem incluir promoções, transferências, ampliação de funções ou tarefas, participação em novos projetos, estágios.

10. Faça do treinamento uma prioridade

Proporcione cursos, treinamentos, palestras, estágios, sessões em que são exibidos filmes em vídeo ou DVD que aprimorem a capacidade do seu pessoal. Investir na competência e preparo de pessoas tem retorno garantido em forma de motivação, produtividade e metas atingidas.

11. Elogie e reconheça

O elogio e o reconhecimento por um trabalho bem feito ou uma decisão acertada deve sempre ser sincero. Falsos elogios ou elogios muito frequentes fazem perder a credibilidade e banalizam o fato. Porém, não economize elogios se a pessoa fez por merecê-los; ao elogiar, faça-o com sinceridade e convicção e, se possível, diante de outras pessoas. Isso provocará um efeito positivo em todos. Mas, quando for repreender ou chamar a atenção de alguém, faça-o sempre em particular, sem a presença de outras pessoas. Com isso, você estará preservando o orgulho e o autorrespeito do liderado.

12. Incentive e recompense os riscos (previamente calculados)

Injete em sua equipe um espírito em que inovação e riscos são recompensados ou, pelo menos, reconhecidos como válidos e importantes em busca de uma melhoria ou otimização.Mesmo que o resultado não tenha sido bem-sucedido, demonstre apreço e reconhecimento pela tentativa. Não desencoraje iniciativas dessa natureza para não inibir futuras idéias e ações que, com certeza,acabarão tornando-se bem-sucedidas. Só erra quem tenta. Os acertos só acontecem devido aos erros anteriores, que forneceram a experiência necessária para os futuros acertos.

13. Mantenha um ambiente físico e psicológico agradável

Tanto o ambiente físico quanto o psicológico são decisivos para provocar estímulos motivacionais.Todos os estudos e pesquisas realizados nesse sentido revelaram a importância desses fatores. Um local com música ambiente (em baixo volume), bem iluminado, arejado, com paredes em tom pastel ou cinza suave, ornado com plantas, flores e quadros amenos transmite outro ânimo e energia ao ambiente. Propicie também momentos de congraçamento do pessoal em ocasiões especiais, como a celebração de um aniversário, amigo secreto, ou algo parecido, no final do expediente. Isso aproxima a equipe, melhora a comunicação e dá maior coesão no trabalho.

14. Mostre um quadro geral

Dê aos liderados uma visão global do que é feito em seu departamento e de como isso se insere no contexto geral da organização. Enfatize a importância de um bom entrosamento com todas as áreas da empresa (produção, vendas, administração, finanças etc.) e que só a colaboração com outras divisões e diretorias é que permite maior agilidade e ganho de competitividade no mercado, vale dizer, satisfação do cliente, sobrevivência da companhia e garantia de emprego.

15. Dê o exemplo

Não apenas o que você fala é importante; muito mais do que isso, o que você faz e como se comporta diante dos subalternos é o que realmente conta. Como chefe, você está sempre sendo observado por seus liderados, tenha ou não consciência disso, e sua forma de atuar passa a ser um padrão de referência e um exemplo para eles, mesmo que você não se aperceba disso.Lembre-se: como gestor, você sempre é mais visto do que vê os outros, e é bom estar consciente disso ou poderá provocar muitos danos e desmotivação junto à sua equipe. Portanto, seja um exemplo de competência – não de incapacidade – junto ao seu pessoal. Seu modo de vestir, a maneira de interagir com colegas e superiores, se você inicia ou não as reuniões no horário, a qualidade do seu trabalho, seu comportamento, os ideais que você defende no dia a dia, seus valores e princípios; isso, e muito mais, pode inspirar ou desmotivar sua equipe. Faça periodicamente uma autoavaliação para ver se você mesmo está agindo do jeito que você deseja que o seu próprio pessoal o faça. Pergunte-se: numa escala de 0 a 10, que nota eu atribuiria a mim mesmo como um exemplo de profissional digno de ser seguido pelos outros?, Onde devo melhorar?. Suas respostas o esclarecerão sobre o que você deve fazer para melhorar, desde que haja sinceridade na sua autoanálise.

16. Outras formas de motivar

Um sorriso sincero ameniza o ambiente. Diga “muito obrigado” olhando nos olhos da pessoa com quem estiver dialogando; ouça o colaborador que tem uma ideia para melhorar a eficiência e, em seguida, sendo exequível, aja de acordo com a sugestão; faça seu pessoal atuar em projetos intersetoriais, cujos membros são de departamentos diferentes. Faça da gerência participativa um dos alicerces de sua atuação. Para tanto:
* Envolva o seu pessoal no planejamento de metas e objetivos do seu setor.
* Envolva-os nas decisões que lhes dizem respeito diretamente.
* Faça com que se sintam responsáveis pelas decisões e pelos resultados atingidos.
* Institua círculos de controle de qualidade ,ou semelhantes, e acate suas sugestões sempre que provarem uma relação custo-benefício vantajosa para eles e para a empresa.
* Institua formas de premiação individual ou em equipe por resultados atingidos
Existem muitas outras formas de motivar. Sua experiência e criatividade lhe darão outras ideias.

– Ernesto Berg – Consultor de empresas, palestrante, articulista, autor de 12 livros, especialista em desenvolvimento organizacional, negociação, gestão do tempo, criatividade na tomada de decisão,administração de conflitos. Graduado em Administração e Sociologia, Pós-graduado em Administração pela FVG de Brasília. Editor do site www.quebrandobarreiras.com.br , voltado para a área de recursos humanos, administração e negócios. Email: berg@quebrandobarreiras.com.br

Extraído do livro “Manual do Chefe em Apuros”, de Ernesto Artur Berg, Juruá Editora, 2a. edição.Este livro tem como brinde o DVD O Gerente Empreendedor, com 50 minutos de duração. Para maiores detalhes sobre o livro acesse www.quebrandobarreiras.com.br

Revista Incorporativa