Líder participativo

Com que estilo devo liderar?

 

Líder democrático, líder carismático, líder coach, líder participativo… são muitos os rótulos que marcam o estilo de liderança exercido por um gestor. Mas, como saber o que é mais apropriado? Heidy Ruth de Oliveira, consultora no Brasil, da Caliper Estratégias Humanas, explica que não existem estilos ou características de liderança cuja validade se aplique a todas as situações.

Segundo a especialista, um líder precisa adaptar-se às demandas específicas da situação, às peculiaridades das pessoas envolvidas, aos desafios enfrentados pela organização e, também, à cultura da empresa. Para ela, o estilo que melhor se aplica a essa realidade é a liderança situacional. “Diferentes momentos exigem posturas distintas. Há casos em que o líder precisa assumir uma postura mais diretiva para que a equipe consiga cumprir as metas estabelecidas; em outra situação, precisa ser carismático para mobilizar as pessoas e assim por diante”, justifica Heidy Ruth de Oliveira.

Além da variável cultura empresarial, outro fator influencia o estilo de liderança adotado por um líder: o nível de maturidade da equipe liderada. “Identificar o momento vivido pela equipe é essencial para que o líder cumpra bem seu papel. De nada adianta praticar uma liderança democrática com um grupo que não tem maturidade para tomar decisões. Também não há porque exercer uma liderança autocrática com uma equipe madura”, sinaliza a consultora.

Facilidade de comunicação e de relacionamento, persuasão e autoconfiança, flexibilidade e ousadia para inovação são alguns traços que marcam o perfil de um bom líder, que precisa, além de tudo isso, preocupar-se constantemente com o processo de desenvolvimento da equipe. “Uma avaliação de potencial de cada membro do grupo é fundamental para incentivar o desenvolvimento das pessoas. Só assim o líder poderá identificar os motivadores, os pontos fortes e as competências que necessitam ser aprimoradas em cada liderado”, comenta Heidy Ruth de Oliveira.

No ambiente empresarial, a incompatibilidade entre o estilo de liderança praticado e a necessidade real das equipes culmina em desmotivação, baixa produtividade, alta rotatividade e outras consequências. Confira, a seguir, algumas dicas para evitar essas circunstâncias.

Cinco dicas para liderar melhor: 

1ª – Formar equipes com potencial para execução dos objetivos da organização. O ideal é não ter “clones” num mesmo grupo, porque perfis muito parecidos não contribuem tanto para o crescimento do time. A dica é buscar pessoas com competências complementares.

2ª – Identificar o potencial de sucesso das pessoas para o exercício de determinado cargo, a partir de uma ferramenta científica e confiável. Isso permite que o gestor entenda as competências necessárias para o exercício de um cargo e acerte nas contratações.

3ª – Desenvolver uma visão sistêmica, planejando e desenvolvendo ações estratégicas que norteiem a equipe.

4ª – Sempre estimular a equipe para alcançar um determinado objetivo.

5ª – Identificar e preparar sucessores.

 

 

 

 

Revista Incorporativa