Administrador

Enquadramento no Simei

O MEI é uma modalidade de microempresa, com natureza jurídica de empresário individual optante pelo Simples Nacional que auferiu receita bruta de até 60.000,00, que exerça somente atividades permitidas para o MEI, que possua somente um estabelecimento e, no máximo, um empregado e que não seja sócio ou administrador de outra empresa.
Ele também deve enquadrar-se no Simei que é a forma como pagará o valor devido.
O Empresário Individual que já esteja em atividade e tenha interesse e condições de se enquadrar na categoria de Microempreendedor Individual (MEI) pode solicitar o ingresso no Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos Abrangidos pelo Simples Nacional (Simei). O prazo também se encerra às 23h59m do dia 31 de janeiro de 2017.
Para as empresas em início de atividade, a realização da opção pelo Simples Nacional e enquadramento no Simei será simultânea à inscrição no CNPJ. A formalização do MEI deve ser efetuada no Portal do Empreendedor (http://www.portaldoempreendedor.gov.br/). Ele obterá a inscrição no CNPJ e a opção pelo Simples Nacional e pelo Simei é realizada de forma automática, produzindo efeitos a partir da data da inscrição.
Caso esteja formalizado e queira se enquadrar no Simei, deve primeiro verificar se é optante pelo Simples Nacional, não sendo, será exigido que solicite previamente, no mês de janeiro, a opção pelo Simples Nacional. Em seguida, ainda dentro do mês de janeiro, deve solicitar o enquadramento no Simei, mesmo que (ainda) não tenha sido deferida a opção pelo Simples Nacional.
A opção pelo Simei deve ser feita no Portal do Simples Nacional (em Simei – Serviços > Opção > Solicitação de Enquadramento no Simei) apenas por aqueles que, posteriormente a sua formalização, desejarem ingressar no Simei.
A solicitação de enquadramento no Simei está sujeita à verificação de impedimentos específicos para esse regime e pode ser acompanhada no item Simei Serviços > Opção > Acompanhamento da solicitação de enquadramento no Simei.
Não serão gerados termos de deferimento e de indeferimento para a opção pelo Simei. O resultado final será “opção confirmada” ou “opção rejeitada”.
Receita Federal

eSocial: O quê, porquê e como. Uma abordagem executiva.

Capacitação promovida pela Fundação Proamb vai abordar em detalhes a novidade do momento nas áreas trabalhista e previdenciária, sob a ótica do administrador de empresas, sócio e presidente do Conselho da NTW Franchising, Roberto Dias Duarte.
O eSocial é um programa do governo Federal que prevê o monitoramento eletrônico dos eventos trabalhistas. Essa poderosa ferramenta vai unificar a prestação de informações fiscais nesses campos, tendo como principal objetivo combater a sonegação e a informalidade.
O novo sistema pretende ainda viabilizar a garantia de direitos previdenciários e trabalhistas e deixar mais simples o cumprimento das obrigações dos empregadores. Benefício tanto para o empregador quanto para o empregado, na visão de muitos, pois fraudes e ilegalidades tendem a se tornar cada vez mais raras, devido à segurança do sistema.
Quem tem funcionários deve se preparar para essa nova obrigatoriedade, porque além de cadastrar os funcionários ao longo do mês, o empregador deverá informar eletronicamente as horas extras, o contrato de trabalho, as férias, as rescisões, afastamentos e demais eventos do dia a dia dos empregados. Com isso, a Receita Federal, a Caixa Econômica Federal, o Ministério do Trabalho e a Previdência Social vão monitorar todas as informações ali armazenadas.
O Comitê Gestor do eSocial informa que o prazo para implantação do Sistema será contado apenas após publicação da versão definitiva do manual de orientação. Seis meses após a divulgação desse manual, as empresas poderão testar o sistema. E, após os seis meses de testes, entrará em vigor a obrigatoriedade para o primeiro grupo de empregadores, formado por empresas grandes e médias (com faturamento anual superior a R$ 3,6 milhões no ano de 2014). O cronograma de ingresso no sistema para as pequenas e micro empresas está sendo elaborado em conjunto com as entidades representativas desses segmentos.
Maxpress Net

O papel administrador do gestor de processos

O papel administrador é a identidade que o gestor de processos assume no momento em que ele controla o processo para que esse funcione conforme planejado. A intenção principal do papel Administrador é cuidar para que o planejamento seja implementado sem qualquer desvio. É o papel administrador que mantem a ordem dentro da empresa.

Mas se há planejamento qual a necessidade do papel administrador dentro das atribuições do gestor de processos?

Esse papel é muito importante porque que problemas acontecem mesmo quando o planejamento é muito bem feito. Esses problemas precisam ser detectados e corrigidos rapidamente para que o processo retome o seu curso normal e volte a produzir resultados previsíveis e consistentes.

O papel Administrador exige que o gestor de processos esteja sempre atento aos detalhes e para isso, precisa ser muito organizado e vigilante. O papel Administrador não aceita como qualidade o uso da memória como substituto de um sistema de informação e controle formal baseado em dados e fatos.

Mas quando a formação do gestor de processos o leva a se identifica demasiadamente com o papel administrador ele passa a atuar de forma burocrática tomando decisões à não permitir qualquer tipo de desvio dentro do seu processo.

Agindo assim o gestor passa a desestimular a criatividade e a iniciativa da sua equipe não aceitando correr riscos nem a possibilidade de erros. Seu processo faz um bom feijão com arroz, mas não gera melhorias ou inovações.

A consequência é um processo que vai se tornando obsoleto rapidamente. Infelizmente esse estilo de gestão, ainda encontra muito adeptos e admiradores, mas é na verdade uma bomba relógio que explodirá a qualquer momento causando enormes prejuízos as empresas que o adota.

Como de costume os treinamentos são as fontes para a mudança do estilo de gestão do gestor de processos. Estimulá-lo a ter um modelo mental mais arrojado e confiante, encorajando-o a usar a diversidade de pensamentos e comportamentos da sua equipe, são fatores importantes dentro do desenvolvimento e ajustamento deste gestor.

Link: http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/o-papel-administrador-do-gestor-de-processos/76578

Administradores

Lições para se aprender com o maior administrador da história

[As luzes diminuem e o apresentador toma seu lugar no palco, faz uma pausa estratégica e anuncia: “E o título de maior administrador da história vai para… José!”]

Se houvesse um evento para premiar o maior administrador de todos os tempos, creio que ele aconteceria assim, com José do Egito levando o prêmio. A história do jovem hebreu se encontra no livro de Gênesis e conta como ele administrou um país inteiro num tempo de crise.

José tinha sido vendido como escravo e este fato condicionava tanto seu lugar na sociedade como a falta de um futuro. Porém diferentemente dos escravos comuns, ele sabia ler e era muito dedicado. Na época só os escribas sabiam ler e eles eram o símbolo de uma pessoa culta e importante. Porém aquele escravo sabia ler. E por isso, mais o fato de ser trabalhador, ele ganhou posição de destaque na casa onde servia. José ainda era escravo, mas tinha caído nas graças de seu senhor.

Tempos depois José foi preso injustamente e sua condição social acabava de descer o último degrau: ele era um escravo presidiário, não tinha como ficar pior. Porém novamente sua inteligência e esforços levaram o jovem hebreu a ganhar destaque: não era grande coisa, ele continuava preso, mas mostrava que aonde quer que ele fosse se destacava.

Alguns anos depois ele ganha a maior promoção de todos os tempos: de escravo ex-presidiário ele passa a Primeiro Ministro da potência mundial da época: o imponente Egito. Com o aviso divino de que uma crise viria daí a sete anos, José levanta um fundo de poupança e começa a economizar parte do que o país produziu durante aquele período. Quando chegou a predita fome, o Egito tinha alimentos tanto pra si como para vender para outros países. E por isso uma grande tragédia foi evitada.

É claro que nós não vamos usar nossos sonhos para tomar decisões nas empresas onde trabalhamos, porém há outras lições que podemos aprender com José, lições que nos torna pessoas e funcionários melhores:

1)  Não venda sua integridade, seja ético. José nunca abandonou seu Deus e sua fé, sempre disse a verdade e agia com honestidade. Profissionais tão éticos assim são raridade hoje em dia e se você tem um caráter puro, pode ter certeza que ele te levará longe. Confiança não tem preço.

2)  Estude. Como eu disse, na época de José só os escribas sabiam ler, porém ele tinha aprendido a habilidade. Se o seu cargo não exige curso superior, faça um assim mesmo. Aprenda línguas e busque cursos que você sabe que te farão crescer na área em que trabalha. Mas tenha foco, é melhor fazer dois cursos que se completam do que mil aleatórios.

3)  Faça investimentos. As crises vêm, podemos não saber quando e qual será a sua abrangência, porém o melhor administrador é aquele que está preparado para as eventualidades.

4)  Não espere reconhecimento. Sim, você leu certo. José era humilde e tudo o que fazia, ele fazia dando o seu melhor. Pessoas assim não passam despercebidas. Portanto, trabalhe dando o melhor de si e não espere pelos aplausos, eles vêm ainda mais alto para as pessoas que trabalham por resultados e não por elogios.

Administradores

CRA-RJ realiza programação especial para o Dia Mundial do Administrador de Recursos Humanos

O Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro preparou uma programação especial para o Dia mundial do Administrador de Recursos Humanos, comemorado no dia 5 de junho: uma palestra com profissionais atuantes no mercado de trabalho será realizada na sede do CRA-RJ.

O tema central do evento é “A Prática da Administração Aplicada em Recursos Humanos” e será discutido pela Comissão Especial de Recursos Humanos do CRA-RJ. Participarão da palestra como painelistas, o Adm. Luiz Henriques, o Adm. Reinaldo Faissal, o Adm. Luiz Claudio de Salles Freitas,  a Adm. Maria Rosanea Oliveira de Souza, a Adm. Paula da Cruz Cordeiro Moreira, o Adm. Pedro Aurélio de Queiroz Andrade e a Gestora de RH Orlanda Aparecida de Souza.

Durante a apresentação, os participantes farão uma reflexão sobre  tema  e  fomentarão o debate sob óticas distintas em relação à formação, mercado de trabalho e aos resultados organizacionais obtidos pelos profissionais da área.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site do CRA-RJ.

 

Administradores.com.br